center
center

.

.

CASA DE RETIRO E ENCONTROS

CASA DE RETIRO E ENCONTROS
CONTATO: RUA SÃO VICENTE DE PAULO,300,ANTONIO BEZERRA - FORTALEZA/CE - TEL:(85)3235-6153

sábado, 13 de agosto de 2011

Rumo a Jornada Mundial da Juventude

Fé! Motivação! Espiritualidade! Esperiência! Compromisso! Essas cinco palavras indicam o desejo da Jovem Amanda, da Paróquia de São Raimundo Nonato/PA, e do padre Silvio Mitoso, da Provincia de Fortaleza da Congregação da Missão, em participar da Jornada Mundial da Juventude em Madri. Será um momento único de encontro com jovens e pessoas de diversos paises que unidos ao santo padre, o Papa Bento XVI, experimentarão Cristo vivo impulsionando-os ao amor, a fé, a esperança e a caridade. Esperamos que estes nossos irmãos tragam, em suas bagagens, muitas novidades...... Bom encontro!!!!!

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Artigo sobre a Castidade

Antes de tudo, a castidade é uma Boa nova. Deve-se destruir por completa a ideia negativa e redutiva desta virtude. A castidade é uma postura de fundo, como um modo de ser, de entender a vida e de se relacionar consigo mesmo e com os outros, que ultrapassa a realidade puramente genital-sexual, mas que depois, consente captar-lhe a verdade e realizar seus fins. É um fato místico, não só ascético, tanto que, segundo Clement “para compreender todos os aspectos da castidade é preciso reler o cântico dos cânticos". 
Esse tema, o qual escolhi, tem como ênfase mostrar como é belo e é possível viver a castidade hoje, pois, é um desafio para o candidato que deseja doar-se totalmente a Cristo, para herdar o reino dos céus. A maior motivação que tenho é poder dizer que a castidade deve ser vivida com sinceridade e honestidade e sobretudo, devemos ser grandes imitadores de Cristo, pois a nossa castidade se espelha no próprio Senhor Jesus. 
Depois de entender o que seria a castidade, nos perguntamos: "A castidade e a sexualidade, como é vista no século que estamos? pode-se dizer que a castidade é colocada a serviço do amor?". A castidade, então, quer dizer renunciar, pelo reino, ao exercício genital sem renunciar ao fim natural da sexualidade. 
A castidade virginal significa, de modo mais positivo, realizar o fim especifico da sexualidade através da escolha virginal: como se fosse uma aposta, demonstrar que é possível viver a própria sexualidade também na escolha celibatária por causa do Reino dos céus. Por isso, não basta ser casto, negar-se aos assim chamados "prazeres da carne’’, mas é preciso captar na luminosidade e na ambiguidade da carne a incancelável presença do Espírito, a "centelha pascal", e oferecer o potente impulso que a sexualidade imprime na relação com o outro, para que seja fecunda. Justamente graças a esta dupla obediência, a continência casta permite ao celibatário por causa do reino se tornar, como dizia no Egito, Evaristo Pôntico, no século IV, "Separados de todos e unidos a todos". 

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Show do Padre Gilvan em Tianguá.

No dia 07/08,  no Liceu da cidade de Tianguá/CE, aconteceu um show com o padre Gilvan Manuel da Provincia de Fortaleza da Congregação da Missão. O evento teve como objetivo arrecadar recursos financeiros para a construção da Igreja da comunidade Santo Antonio. Varias pessoas, entre elas, jovens, pessoas da comunidade de Santo Antonio e comunidades vizinhas,  poderam prestigiar e louvar a Deus por meio desse  momento de evangelização através da música. Que Deus continue abençoando o padre Gilvan em sua missão junto ao povo da cidade de Tianguá. Quem quiser contribuir, com a construção da igreja de santo Antonio, pode entrar em contato através do telefone: (88) 3671-1708.

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Artigo da CNBB para mês vocacional


No mês agosto se inicia o Mês Vocacional, proposto pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) desde 1983. O mês vocacional tem como objetivo celebrar a diversidade das vocações e ministérios na vida da Igreja. O tema deste ano é: “Há esperança no caminho!”, e o lema: “Ardia nosso coração quando ele nos falava pelo caminho” (Cf. Lc 24,32).
Para celebrar esta ocasião, o assessor da Comissão Episcopal Pastoral para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada, padre Reginaldo de Lima publicou uma carta, no site da CNBB, ao qual pede a todos que comemorem o mês proposto e diz ter certeza que o Senhor fará surgir entre nós uma nova primavera vocacional.
O assessor fala ainda que os Regionais da CNBB já estão em festa, realizando atividades em celebração ao mês Vocacional. “por certo, cada um dos regionais, dioceses, paróquias e comunidades eclesiais já estão realizando suas atividades. Assim, unidos na oração pelas vocações queremos pedir ao Senhor da Messe que suscite vocações sacerdotais, religiosas em nossas comunidades, bem como jovens que se preparem dignamente para a vocação matrimonial, fazendo crescer em nossas comunidades a presença frutuosa das famílias cristãs e dos agentes pastorais”.
Padre Reginaldo encerra a carta dizendo: “Desejo a todos e a cada um em particular êxito nos trabalhos ao longo deste mês. Asseguro-lhes as minhas orações, ao mesmo tempo, que me confio às vossas orações. Recebam meu abraço e agradecimento pelo árduo, mas fundamental trabalho que realizam em prol das vocações”.

Seminaristas: Jonathan Igor e Alex Cesário

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Mês das Vocações


O mês de agosto, para a Igreja no Brasil, é dedicado à reflexão e oração pelas vocações. É o mês em que as comunidades são chamadas a refletirem sobre a forma de como estão cultivando as vocações, ao mesmo tempo em que elevam suas preces ao Deus providente para que “continue a passar pelos nossos caminhos, pelas nossas famílias, pelas nossas escolas e comunidades” repetindo o convite do seguimento a muitas crianças, jovens e adultos. O mês em que as comunidades rezam pedindo coragem às pessoas convidadas e força aos que abraçaram uma vocação específica “para que sejam fiéis como apóstolos leigos, como sacerdotes, como religiosos e religiosas para o bem do povo de Deus e de toda a humanidade” (João Paulo II).
A vocação é um dom de Deus que implica numa resposta da pessoa chamada. É uma graça que Deus dá às pessoas para ajudá-lo a concretizar o seu projeto de amor através da vida sacerdotal, religiosa, familiar e leiga.
Deus chama e dá o carisma. Se está diminuindo o número de famílias que dão testemunho de fidelidade a Jesus Cristo, e se são poucos os padres e religiosos e existe carência de pessoas para trabalharem na catequese, no serviço da caridade e na animação das comunidades, não é porque Deus deixou de chamar. A deficiência se deve ao fato de muitos dos chamados não se disporem ao seguimento, ou não encontrarem terreno propício para o cultivo da sua vocação.
Em razão de no dia 04 de agosto celebrarmos São João Maria Vianey, o Cura d’Ars, que é padroeiro dos padres diocesanos, o primeiro domingo do mês é dedicado à vocação sacerdotal. Para os padres e bispos da Diocese, a comemoração começou com dois dias de curso sobre a “identidade e espiritualidade do padre” e um dia de confraternização marcado pela missa de ação de graças, almoço e tarde de convivência no dia 04 de agosto. No final de semana os padres celebram com suas comunidades, unindo-se ao povo no pedido por mais vocações à vida sacerdotal e por fidelidade aos que foram chamados.
Nos domingos seguintes, celebraremos a vocação dos pais e a Semana Nacional da Família (14 de agosto); a vocação dos religiosos e das religiosas no dia 21 de agosto e a vocação dos cristãos leigos, com destaque para as catequistas, no dia 28 de agosto.
Convidamos a todos os batizados a se empenharem em viver e testemunhar, na alegria, a sua vocação a serviço do Reino de Deus. Que todos se unam às suas comunidades para orar por vocações ao longo dos quatro domingos do mês de agosto, atendendo ao mandato de Cristo: “Pedi ao Senhor da Messe que mande operários para a sua Vinha” (Lc 10,2).

Dom Canísio Klaus

Bispo de Santa Cruz do Sul - RS

domingo, 7 de agosto de 2011